SOMMER PAVILION

cascais . 2018

O Jardim da Parada, materializado em 1818 assistiu, ao longo do tempo, a diferentes intervenções, identificadas em fotografias antigas e no Relatório da Gerência da Câmara de 1966: “No Jardim da Parada, beneficiado com a água proveniente do poço do hipódromo, procedeu-se a uma total remodelação dos seus pavimentos, alterando-se o traçado dos caminhos, levou-se a efeito uma substituição de terras até uma profundidade apreciável. Os caminhos foram marginados por lancil, aproveitado de alguns passeios das ruas do Estoril. Como trabalho fundamental e moroso houve que proceder ao levantamento do fundo do antigo lago que existiu no centro do jardim, no local onde se encontra o monumento.”

 

Atualmente, apesar da proximidade ao “Bairro dos Museus” e da circulação diária de muitas pessoas, encontrámos o jardim descaracterizado e sem hierarquização de percursos.

Como estratégia revelou-se necessário devolver-lhe a importância e a centralidade. Para isto ativaram-se os atravessamentos diagonais de forma a fazer convergir os acessos desde a Casa Sommer e do Museu do Mar até ao novo pavilhão, transformando-o num ponto de encontro cultural aberto à comunidade.

A proposta, que envolve e eleva acima de um espelho de água a estátua do antigo Presidente do Município Jaime Costa Pinto (responsável pela implementação da rede de distribuição de água à vila), recorda o ambiente das antigas salas de fresco e recupera os tons e materiais de exemplares retirados da arquitetura vernacular de Cascais: casas de veraneio, antigos tanques de lavagem, casas de fresco ou cisternas existentes.

O acesso é feito através do corredor de transição, que prepara a entrada no espaço principal, encerrado à envolvente, mas aberto ao céu, fazendo com que a atmosfera do jardim se reflita no interior do espaço pelo reflexo e movimento das copas das árvores no espelho de água que envolve a estátua de Costa Pinto.

Dada a versatilidade do pavilhão, sugere-se que seja um complemento aos programas promovidos pelos equipamentos do “Bairro dos Museus de Cascais”: exposições, sala de leitura da feira do livro, plataforma de conferências, café-concerto ou espaço para outros eventos que se desenvolvam no jardim.

 

Jardim da Parada, materialized in 1818, witnessed, over time, different interventions, identified in old photographs and in the Management Report of the Chamber of 1966: “In Jardim da Parada, benefited with the water from the hippodrome well, proceeded in order to completely remodel its floors, changing the layout of the paths, a land replacement was carried out to an appreciable depth. The paths were bordered by curbs, taking advantage of some walks on the streets of Estoril. As a fundamental and time-consuming work, it was necessary to survey the bottom of the old lake that existed in the center of the garden, in the place where the monument is located. ”

Currently, despite the proximity to the “Bairro dos Museums” and the daily circulation of many people, we found the garden uncharacterized and with no hierarchy of paths.
As a strategy, it was necessary to restore its importance and centrality. For this purpose, diagonal crossings were activated in order to converge access from Casa Sommer and the Museu do Mar to the new pavilion, transforming it into a cultural meeting point open to the community.
The proposal, which involves and raises above the water mirror the statue of the former Mayor of the Municipality Jaime Costa Pinto (responsible for the implementation of the water distribution network to the village), recalls the atmosphere of the old fresco rooms and recovers the tones and exemplary materials taken from the vernacular architecture of Cascais: summer houses, old washing tanks, fresco houses or existing cisterns.
The access is made through the transition corridor, which prepares the entrance to the main space, closed to the surroundings, but open to the sky, making the atmosphere of the garden reflected inside the space by the reflection and movement of the treetops in the mirror of water surrounding the Costa Pinto statue.
Given the pavilion's versatility, it is suggested that it be a complement to the programs promoted by the equipment of the “Cascais Museum District”: exhibitions, reading room of the book fair, conference platform, café-concert or space for other events that develop in the garden.

Programa Program

pavilhão pavillion

Localização Location

cascais, Portugal

Cliente Client

Câmara Municipal de Cascais + OASRS

Data Date

2018  

Área de Construção Construction Area

...  

Arquitetura Architecture

MESA atelier

Imagens 3D Renderings MESA atelier

Copyright © 2020 Mesa atelier